Como alimentar um LED de 12 volts?

Preciso ligar um LED de uma voltagem de 12V…

Que circuito devo fazer?

É simples.

O LED deve ser fornecido com uma tensão de 1,5 V e 20mA deve fluir através dele (se não estiver a piscar, caso contrário 15mA). Para baixar a tensão para 12V, é necessário colocar uma resistência em série com o LED a 12 – 1,5 = 10,5V.

Também é necessário garantir que a resistência (que está em série com o LED e, portanto, desenha a mesma corrente) é dimensionada para puxar precisamente a corrente que o LED precisa para atrair.

Assim, da lei de Ohm, obtemos R = V / I = 10,5 / 0,02 = 525 ohms.

Para a potência entregue pela resistência, é necessário utilizar a fórmula de potência P=V*I =10,5*0,02=0,21W, para que uma resistência de 1/4 watts seja suficiente. Mesmo assim, dada a diferença de custos insignificante, escolheria uma resistência de 1/2 watts.

PS. em torno de um 20ma 12volt liderado, uma resistência de 860ohm 1/4w é suficiente… Conduzi muitos LEDs desta forma ^_^.

assim: (+12)——–(RRRR)——–(+LED-)—–(GND)

RRR=resistor

+LED- = LED cada um com ânodo (+) e cátodo (-)

Pode reconhecer o ânodo pelo facto de ser o pino mais estendido.

Como posso ligar um LED de 3 volts a uma bateria de 12 volts?

Se bem o entendo, a sua pergunta refere-se a um relé alimentado a 12 V que, quando fecha, descarrega um condensador carregado de 400 V com uma capacidade de 3,3 milifarads.

A primeira observação é que a capacidade é muito elevada.

A segunda é que deve ser colocada uma resistência limitante. Caso contrário, uma corrente muito alta fluirá através do condutor de resistência normalmente baixo.

Se eu o entendi corretamente, a carga do condensador é calculada a partir da fórmula básica Q=CV=0,003F400V. Lembrando que o farad é dimensionalmente equivalente a um coulomb por volt, temos que a carga do condensador é Q=0.003∗400=1,2 coulombs.

Suponha que temos um relé de 10 amp 400 volts. Ou seja, pode transportar uma corrente de 10 amperes a uma tensão máxima de 400 volts.

Lembre-se que a carga atual é dividida pelo tempo de descarga, por isso se I=Q/t, t=Q/I=1.2/10=0,12 segundos. Ou seja, se pudermos descarregar o condensador em pouco mais de um segundo, então estamos (em média) abaixo do valor atual (10A) que o nosso retransmissor pode conduzir sem quebrar.

Em seguida, é necessário determinar uma resistência de modo a que o tempo de descarga seja igual a 0,12 segundos. Suponha que nos lembremos que o tempo de descarga (ou carga) de um condensador é semelhante a 5RC. Nesse caso, ou seja, 99,9% da carga é descarregada cinco vezes o produto da resistência à descarga e da capacidade (Descarga de um condensador – Wikipédia), segue-se a 5RC=0,12s R=0,12s5C=0,12s50.003F=8 Ohms.

Este é um cálculo simples e, portanto, aproximado.

A aproximação provém do facto de eu ter levado a corrente média ao longo da descarga para dez amperes, mas, realisticamente, o valor inicial é muito maior.

Sim simulava um circuito trivial para ter uma ideia do que acontece, e usei Qucs (Simulador de Circuito Bastante Universal), um simulador amplamente utilizado no mundo Linux. —P1

Em vez de simular um relé, considerei um pulso de 100V. Usei 100V porque o simulador tem um problema de convecção a 400V, mas multiplique a corrente por quatro.

Como pode ver (gráfico à direita), a corrente máxima é superior a 40 amperes. A corrente média é muito menor, mas a corrente máxima, que geralmente ocorre durante os transitórios, é muito maior.

Se aumentar a resistência à descarga para 40 ohms, o seguinte acontece

A corrente máxima baixou para 10 amperes (lembre-se que tem que multiplicar a escala por quatro), e, obviamente, o tempo de descarga aumentou.

Então sugiro uma resistência de 40-ohm, embora a aumente um pouco para estar no lado seguro.

Uma última consideração é a energia da descarga.

A energia contida neste mega condensador quando carregada é de 12CV2=0×0×0×4002=240 joules. Uma vez que a descarga demora cerca de meio segundo, há cerca de 480 W (meio kilowatt) circulando nesta resistência, por isso você tem que pegar uma resistência de poder e possivelmente dissipe-la também, ou você corre o risco de derretê-lo.

ADDENDUM

BTW, nem sei se se encontra um condensador de 3,3 milifarad no mercado que funcionará a 400V.

A valores de millifarad, as tensões máximas são de 25 volts. A razão é simples: são condensadores eletrolíticos, onde as duas armaturas são criadas por ataque químico e oxidação de uma tira de alumínio, pelo que a força dielétrica do material é baixa: se aplicarmos uma tensão a um condensador de 25 V que é ainda 20% superior a isto, a vida é significativamente reduzida.

a vida é reduzida se não rebentar na mão (os eletrólitos têm uma válvula de segurança: ouve-se um apito, e um cheiro de frango queimado espalha-se)

Se sobreviver, aquece e tem correntes de fuga muito elevadas. Provavelmente só dura pouco tempo.

A resistência em série com o LED é colocada para limitar a corrente que irá retirar ou queimar imediatamente.

Para calcular o que resistor colocar lá, faça o cálculo usando a lei de Ohm com base em três pedaços essenciais de dados:

– A voltagem de entrada, que neste caso é de 12V.

A tensão nominal do próprio LED, um parâmetro definido para cada LED até baixo, depende do tipo: se a luminosidade alta ou o normal.

– O mA máximo que pretende passar no LED.

O 12V que temos, como absorção de mA é bom para 10 ou máximo a 20 se queimar um para o próximo.

Para a voltagem nominal, digamos 3V, mas também pode chegar a 4V se tiverem um alto brilho.

Agora aplique a fórmula:

R= (tensão de entrada – tensão nominal) / mA (na fórmula, tem que escrevê-lo como A, mas isso significa que se for dez mA, coloque 0,01A…. se for 20 mA, é 0,02A, e assim por diante)

Assim:

R= (12 – 4 “dependendo do tipo de LED mencionado acima”) / 0,02A = 400 ohms.

Uma vez que 400 ohms não é um valor, pode encontrar no mercado, colocar no valor mais próximo desse valor, por exemplo, 390 ou 470 ohms.

Ou fazer o que faço, que coloco 470 ohms em todos os valores padrão e jogo seguro.

Se quiser tentar, desempere uma resistência aleatória, mas não muito baixa, e altere-a até conseguir o Lumosota que quiser.

Se quiser ser fresco, pode colocar um potenciómetro para que possa variar a luminosidade.

Se quiser estar frio, olhe para a corrente máxima que pode suportar o LED e coloque a resistência em série com o potenciómetro que compete, fazendo os cálculos sugeridos para que não se arrisque a queimar o LED.

Como alimentar um LED de 12 volts?

Obter um valor de resistência para inserir numa série com um ou mais LEDs é um processo razoavelmente simples.

É necessário saber algumas características técnicas, como a tensão de abastecimento do circuito; a tensão que vai cair em cada LED; a corrente que fluirá no LED, e depois pela lei de Ohm com um simples passo, obterá o valor final da resistência a ser inserida em série no circuito.

Principais fórmulas da lei de Ohm:

Lenda:

A = ampere – corrente

V = tensão

R = Resistência

W = potência

V = R x A;

V = W : A;

A = V : R;

A = W : V;

R = V : A;

R = (V x V) : W;

W = V x A;

W = (V x V) : R;

Pode usar estas fórmulas simples para dimensionar o seu circuito, mas neste caso, vamos ver como obter o valor da resistência mostrada na figura acima.

Pode ver que a tensão de alimentação é de 12 V e os LEDs estão ligados na série 2.

É claro que podemos encontrar todas as características exatas dos LEDs nas respetivas folhas de dados, mas usaremos um díodo LED clássico para o cálculo.

Uma vez que sabemos que os díodos LED funcionam com uma tensão de 2,5 V e uma corrente entre 10 e 30 mA (quanto mais aumentar a corrente que flui através do díodo LED, mais curta a duração do LED), limitar-nos-emos a uma corrente de 15 mA neste exemplo.

Uma vez que sabemos que dois LEDs estão ligados em série, e a queda de tensão em cada LED é de 2,5 V, deduzimos que a tensão que o resistor deve conter será a seguinte:

12 – (2,5 * 2)= 7 volts.

Em seguida, usaremos esta fórmula:

R = V: A, onde V é igual a 7, enquanto A é semelhante a 0,015A (para converter o valor de mA para A, devemos dividir o valor por 1000)

R1 = 7 : 0,015 = 466 OHM

O valor de 466 ohms é então o valor da resistência inserido em série com o circuito para limitar a corrente a 15 mA. No entanto, uma vez que este não é um valor tradicional, usaremos o valor seguinte, 470 ohms (verifique as ofertas).

Por último, calcule o poder da resistência.

W=V*A

onde V é igual a 7, enquanto A é igual a 0.015A

W=7*0.015=0.105 W

Neste caso, uma resistência clássica de 1/4 watts é suficiente.

Share:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Ena Leung

Ena Leung

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

3 × three =

On Key

Related Posts

The Newest & Hottest Products In 2022

All your answers are in SANPU’s monthly report, 2022

We picked up the most popular items from 1,000+ items of our clients, to help you find the wining product.

Ask For A Quick Quote

We will contact you within 1 working day, please pay attention to the email with the suffix “@smpspower.com”.